O câncer de mama é um tumor maligno, que provém de alterações genéticas nas células mamárias. Estas células sofrem um crescimento anormal e se multiplicam desordenadamente, dando origem às lesões malignas. Apesar da origem do câncer ser uma alteração genética, somente uma pequena parcela dos tumores tem relação com a hereditariedade.

Este é o tipo de câncer mais comuns entre as mulheres do Brasil e do mundo. Neste ano de 2017, espera-se 58000 novos casos da doença no país.

Se detectado em fases inicias, aumenta as chances de tratamento e cura. Os principais sintomas são: nódulo indolor, pele avermelhada, retração de pele, inversão do mamilo e saída de líquido (não leite) pelo mamilo. É importante lembrar que nem sempre essas alterações são sinônimos de câncer!!!

Alguns exames radiológicos, como por exemplo, a mamografia, são capazes de detectar alterações mamárias antes dos sintomas aparecerem, o que aumenta muito a chance de sucesso do tratamento! A Sociedade Brasileira de Mastologia orienta que a mamografia deve ser feita anualmente a partir dos 40 anos.

O tratamento do câncer de mama é uma combinação de múltiplas terapias: a cirurgia (que pode ser a retirada parcial ou total da mama); a quimioterapia; a radioterapia e a hormonioterapia.  Lembrando que nenhuma mulher precisa ficar sem a mama, todas tem direito à reconstrução mamária!

Por isso, não se esqueça, se você é mulher e tem mais de 40 anos, procure um mastologista e faça uma mamografia!!!

Share This